terça-feira, 28 de abril de 2020

{Dica da Mary} Quais os estilos universais?

Este número surgiu a partir de estudos que analisaram o comportamento dos consumidores durante anos. Na década de 1980, a americana Alyce Parsons desenvolveu o sistema PASS (Proportion Analysis / Style Selection), que cunhou o conceito de estilo universal.
O resultado dessa pesquisa extensiva trouxe um compilado de características e padrões que refletem os interesses de consumo dos indivíduos. Daí surgiram os 7 estilos universais. Hoje em dia, eles aparecem tanto na moda quanto no design e no merchandising, uma vez que, refletem os nossos interesses de consumo em muitos aspectos da vida.

Ao longo da vida, é normal que a mudemos, evoluamos e talvez até mudemos de gostos. Por isso o autoconhecimento é a chave. Mesmo quem tem pouco ou nenhum interesse pelo mundo da moda tem um estilo. Geralmente temos entre 2 e 3, embora um sempre seja dominante.
Juntos, eles transmitem a personalidade, os valores e os ideais que são comunicados ao mundo através das roupas.

Então que estilos são esses:
   1) Estilo Desportivo – Conforto é a palavra que resume este estilo universal. Isso não quer dizer que a mulher desportiva é aquela que vive com roupas de ginásio. Preza por qualidade e praticidade, pois leva uma vida ativa e não tem tempo a perder. Prefere roupas com mobilidade e é fã da combinação clássica jeans + camisa branca, além de adorar peças com acabamentos rústicos e fibras naturais. É provável que se sinta limitada por não gostar de usar saltos, mas com um bom aconselhamento o estilo desportivo pode adequar-se a todas as ocasiões.
   2) Estilo Tradicional ou Clássico – Mais conservador e atemporal, este estilo traduz-se em peças de alfaiataria, linhas retas e cores sóbrias. Uma pessoa que tenha o tradicional como dominante gosta de transmitir seriedade, não é fã de acessórios e vê as roupas como um investimento.
O desafio aqui é quebrar a rigidez e atualizar os looks para não parecer que usa sempre as mesmas roupas. Este é o estilo universal mais aceite no ambiente formal de trabalho.
   3) Estilo Elegante – Como no estilo tradicional, esta mulher também preza pela durabilidade. No entanto, faz questão de comprar peças mais contemporâneas. É uma mulher que transmite uma imagem refinada, reservada e segura de si. Escolhe modelos com excelente caimento e tem uma postura muito elegante em todos os momentos.
   4) Estilo Romântico – Delicadeza, folhos, padrões pequenos e sobretudo florais são as preferidas desta mulher, que é super feminina. A principal peça-chave é o vestido e o seu maior desafio é amadurecer o estilo para não transmitir uma imagem frágil.
   5) Estilo Dramático – Esta é aquela mulher que acompanha as tendências e adora looks atuais. Não tem medo de arriscar e pode até ser vista como extravagante. Geralmente possui bastante informação de moda e já tem know-how suficiente para misturar os estilos por conta própria.
No entanto, por ser muito ousada, se faltar direcionamento pode acabar sendo vista como “too much”. É aí que entra a consultoria de imagem para equilibrar essa extravagância.
   6) Estilo Criativo – Este geralmente está presente em personalidades que trabalham na área das artes e da criatividade. Assim que abre o closet, esta mulher não tem medo de misturar tudo. Cores, padrões, formas, texturas, sobreposições inusitadas… tudo é possível para ela, que adora sentir-se única.
Quando o criativo é dominante, ele pode assustar e afastar as pessoas mais tradicionais. Por isso há que aprender a dosear essa criatividade na hora de frequentar ambientes mais sóbrios.

   7) Estilo Sexy / Sensual – Este é um estilo que muitas mulheres adotam para sair à noite, já que realça as curvas. Esta mulher não economiza nas transparências, decotes, cores fortes e estampas como animal print. Aqui é preciso ter cuidado redobrado para não cair na vulgaridade (que indica um desacordo visual com a situação ou o ambiente). O desafio é saber dosear para transmitir uma imagem segura, sedutora e sensual na medida certa.

Em primeiro lugar, é preciso lembrar que temos um estilo dominante e dois secundários, totalizando 3 estilos universais que traduzem a nossa personalidade. Estes servem como uma bússola e vão ajudar no propósito de libertar a vossa melhor versão. 
Por fim, uma boa consultoria de imagem é um investimento para a vida inteira. A consultora é uma profissional capacitada para auxiliar em todas as etapas do processo de construção da imagem pessoal de sucesso. 

terça-feira, 21 de abril de 2020

{Dica da Mary} Problemas na construção de looks diários

A falta de tempo e as muitas influências que sofremos hoje em dia (media, influencers, marcas, etc.) fazem com que cada vez mais as mulheres tenham problemas na construção dos seus looks diários levando a gastos financeiros desnecessários, assim como, a graus de insatisfação elevados e a questões com a imagem pessoal.

São aquele tipo de pessoas que passa muito tempo a pensar e a escolher a roupa que vestir e mesmo assim quando saem para a rua acham que fizeram a escolha errada? Então se isto acontece é porque têm uma falta de autoconhecimento de qual o vosso estilo pessoal acabando por comprar sem considerar quem realmente são.

Para resolver esta questão é necessário que tenham em atenção três factores devendo reflectir sobre os mesmos:
   1) A autoavaliação – Quem são no presente momento e quem querem ser no futuro? O que é ou não importante na vossa vida? Como priorizar os recursos existentes?
   2) A autoexpressão – O que querem transmitir ao mundo? O que defendem e qual a vossa missão? Quais as características que as torna únicas? 
   3) Rotina diária (o vosso dia a dia e a vossa realidade organizando o closet de acordo como o mesmo) – Quais as actividades mais importantes que têm durante a semana? Como seria um dia perfeito para vocês?

A falta de clareza e incerteza pessoal irão reflectir-se nos vossos looks pessoais e como tal os fundamentos do estilo pessoal exigem uma reflexão sobre o estilo de vida de forma a definir um estilo pessoal apropriado.

Por outro lado, porque buscamos e precisamos sempre da aprovação dos outros em relação à nossa imagem pessoal? Se tiverem noção de quem realmente são saberão defender-se e perceber que o problema da critica não é vosso, mas daqueles que a fazem.

Com o autoconhecimento criarão uma assinatura de estilo única (aquilo que chamo um factor WOW), ou seja, um forte sendo da sua identidade visual. Não têm que se esconder atrás de roupas ou tendências, antes pelo contrário têm que mostrar quem são. Para isso analisem o vosso closet, percebam quais as peças que mais usam e como podem brincar com os acessórios criando a tal assinatura. Pesquisem na net os vossos gostos e vejam se vai ao encontro do que têm no closet. Façam um moodboard que vos sirva de inspiração diária com elementos que vão encontro do que gostam, do que são e do que faz sentido.

Ainda, muitas mulheres têm a questão que quando abrem o closet de que está cheio, a abarrotar frequentemente, mas sentem que nada têm para vestir. A falta de planeamento e organização leva à compra por impulso. Têm que programar as vossas compras, perceber o que realmente precisam, o que é mais importante adquirir no imediato. Isto evitará compras aleatórias e compulsivas e logicamente à poupança financeira, assim como, à percepção da importância das peças que tem e às prioridades em termos de compras.

Devem valorizar o que são no momento, apesar de poderem sofrer alterações num futuro próximo, como por exemplo um processo de emagrecimento, pois são maravilhosas agora. Por isso coragem e assumam o que realmente são.

quarta-feira, 15 de abril de 2020

{Dica da Mary} Desabafos de uma Consultora


Um dos grandes mitos que ronda a consultoria de imagem é que se trata de um trabalho fútil, que passamos horas em loja às compras e não acrescentamos valor a nada nem a ninguém a não ser a um grupo de dondocas endinheiradas.

Nada podia ser mais errado! Passamos horas em pesquisas online e presenciais procurando sempre o melhor para as clientes (ao contrário do que dizem certas vozes eu visto-as segundo a imagem e estilo que elas pretendem transmitir e não segundo o meu ou aquilo que gosto) e os serviços de consultoria não custam assim balúrdios estando acessíveis a todas (ou quase todas vá).

Ás vezes penso que as pessoas não reconhecem verdadeiramente o nosso trabalho e não percebem o quanto temos que trabalhar no backoffice. A maioria acha que uma consultora custa um balúrdio e muitos pensam que passamos o dia a dar bitaites sobre roupa e o que vestir sem perceber que estudámos, fizemos investimentos financeiros e que é um trabalho rigoroso que vai mexer muito com a vida de outra pessoa.

Quem já trabalhou comigo creio que saberá o quanto nós temos que nos esforçar, procurando colocar-nos no lugar da outra pessoa, ajudá-la a atingir os seus objectivos e a chegar onde esta quer.

Outra das coisas que nunca faço e que nenhuma consultora de imagem deve fazer é, quando ando a fazer um shopping, com uma cliente, comprar também peças para mim. Para além de não ser ético, o tempo que passo com elas em loja é somente para elas e não para mim. Estou ali por elas e para elas e como tal nada mais se deve intermeter. O que não invalida que não deite um olho a uma ou duas coisitas e que fique com elas de baixo de olho (para mal dos meus pecados) para mais tarde voltar e analisar se fazem sentido para mim e se preciso mesmo delas.

Mas pronto também é para mostrar a essas pessoas que trabalho diariamente e às que me dá mais prazer dar uma chapada de luva branca mostrando como são as coisas na realidade e o quão estamos tão longe da futilidade que nos atribuem.

Sei que podem pensar que a Consultora de Imagem é algo que não vos servirá porque já se sabem vestir sozinhas, até porque estão satisfeitas com a vossa aparência ou mais frequentemente porque não têm tempo nem dinheiro para a mesma. Vão adiando a decisão, à espera do momento certo e geralmente tudo passa à frente em termos de prioridade e relegam-se para último.

Mas já pensaram que se não estiverem bem as pessoas à vossa volta também não estarão? Se querem ter sucesso na vida e serem felizes têm que se comprometer primeiro convosco mesmas e criarem a vossa melhor versão, elevando a autoestima e a confiança pessoal.

No processo de consultoria de imagem vou ajudar-vos a criarem a vossa melhor versão e perceberam como imagem influencia o vosso dia a dia, bem-estar e meio social onde se movem.

Mas pronto isto hoje foi um desabafo...